Notícias


Qual o tipo de relacionamento que os donos de pequenas empresas esperam manter com seus contadores?

Publicado em 08 de Agosto de 2018 às 09:19 AM

Empreender não é fácil, e os proprietários das pequenas empresas são pressionados o tempo todo com a concorrência gigantesca em seus mercados de atuação, além das constantes mudanças, seja no modo de seu consumidor se comportar, o advento de novas tecnologias, novos meios de se comunicar, estratégias de marketing, dentre outros fatores. Vivem procurando maneiras de estar em evidência para o seu público alvo, se posicionar à frente da concorrência e manter-se no topo como uma empresa sustentável financeiramente e com muito sucesso. E a maioria destes empresários espera que seu contador seja um verdadeiro parceiro para ajudá-los a enfrentar todos estes desafios. 

Isso fica evidenciado em uma pesquisa realizada pelo SEBRAE em 2016, que mostrou que 69% dos pequenos empresários entrevistados, até hoje, desde o início de seus negócios se relacionam apenas com uma empresa de assessoria contábil e nunca trocaram de contador.

Porém, à medida que o porte dessas empresas cresce, os empresários ficam mais velhos e o seu grau de escolaridade aumenta – logo, aumentam o nível de conhecimento – esta fidelidade diminui consideravelmente.  E isso se deve ao fato de que muitos destes empresários acabam trocando de provedor de serviços contábeis porque seu contador anterior “não lhes deu conselhos proativos para o crescimento da empresa, e prestou apenas serviços reativos”. 

A equipe do SEBRAE entrevistou mais de 6.000 proprietários de pequenas empresas em todo o país sobre uma variedade de fatores que envolvem o relacionamento com seus contadores, e constatou que existe uma enorme demanda de serviços para as empresas contábeis oferecerem para estas empresas, porém, pouquíssimos empresários contábeis se atentaram que os tempos mudaram e que poderiam estar fazendo uma diferença muito grande na vida de seus clientes. E mais, os clientes declaram em pesquisa que estão dispostos a pagar mais para que o contador tenha um papel proativo na gestão de seus negócios.

Vamos entender um pouco mais como funcionou a pesquisa do SEBRAE.  

De acordo com os dados extraídos desta pesquisa, cheguei à seguinte conclusão sobre o que o pequeno empresário espera de um contador contemporâneo.

As empresas querem manter um relacionamento mais próximo com seus contadores

Quando perguntados sobre os tipos de serviços os donos de pequenas empresas esperam de seus contadores, além do básico que é: apuração de impostos e contabilidade, mais de 60% dos entrevistados afirmaram que gostariam que o contador participasse mais do planejamento do negócio e fornecesse conselhos estratégicos, atuando efetivamente como consultor do negócio. 54 % destes empresários declararam que pagariam mais de 20% acima do que pagam hoje para terem estes serviços.

Outros resultados notáveis e interessantes da pesquisa SEBRAE

Integração e Tecnologia

63% dos pequenos empresários querem uma pró-atividade maior de seus contadores em relação à tecnologia para seus negócios (utilização e integração de sistemas informatizados). Porém, somente 30% das contabilidades agem neste sentido.

Participação ativa na gestão do negócio como conselheiro

79% dos empresários entrevistados acham que seu contador não é proativo o suficiente para ajudá-los com recomendações para melhorar o negócio. Somente 25% dessas empresas recebem este tipo de apoio de seus parceiros contábeis.

Planejamento Tributário do Negócio

84% dos empresários gostariam que seus contadores realizassem e monitorassem um Planejamento Tributário adequado à realidade de suas empresas. Porém, apesar desta demanda enorme, somente 54% dos contadores atuam proativamente neste sentido com seus clientes.

Relatórios de desempenho e diagnósticos

77% dos donos de pequenas empresas acham que seu contador deveria enviar relatório de desempenho e diagnósticos precisos do negócio através dos dados contábeis que geram. No entanto, somente 29% das empresas contábeis ofertam este tipo de serviço.

Apoio na gestão financeira

73% dos empresários gostariam que seus contadores os apoiassem na gestão financeira de seus negócios. Ainda assim, somente 23% dos gestores contábeis se atentaram para esta necessidade do mercado.

Comunicação

50% por cento dos empresários entrevistados conversam com seus contadores no máximo 02 (duas) vezes por mês.
O número de contatos aumenta de acordo com algumas variantes:

– Empresas EPP (6,6 contatos mensais em média);

– Empresários com superior incompleto (6,4 contatos mensais em média);

– Empresários 25 a 34 anos (6,0 contatos mensais em média);

Nível de conhecimento do contador em relação aos negócios (segmentos dos clientes)

Segundo o SEBRAE, existe uma diversidade muito grande de situações sobre o nível de conhecimento do contador em relação às especificidades das empresas de seus clientes.

Em resumo, os empresários consideram o conhecimento dos contadores em relação às suas empresas e o seu segmento de mercado como mediano (Nota média = 7,1).

Além desses dados que julguei muito interessantes para discutir com vocês, existem ainda outros dados muito relevantes neste sentido que constam na pesquisa e que você deve conferir e levar em consideração.

Segundo o próprio SEBRAE ainda é muito grande a distância entre oferta e demanda por serviços contábeis.

Outras pesquisas demandam que muitos empresários já preferem e estão à procura de empresas contábeis que sejam especializadas em seu nicho de atuação. Esta é uma grande oportunidade para uma empresa contábil se mostrar fora da curva e se destacar para o seu público alvo.

Conclusão

De acordo com o SEBRAE, esta pesquisa mostra várias áreas em que os Empresários Contábeis e suas empresas podem e devem se preparar para prestar um melhor serviço e fortalecer suas relações com clientes. 

Mesmo que ainda uma pequena maioria dos pequenos empresários (69%) – principalmente os que têm menores níveis de escolaridade – ainda sejam fiéis e felizes com seu contador, o cenário corporativo atual e as constantes evoluções tecnológicas criam cada vez mais complexidades para eles, e por isso, muitos querem que seu contador seja um parceiro dinâmico e ativo em sua jornada empreendedora, isso é, que atuem muitas vezes como um conselheiro financeiro muito confiável para ajudá-los com esses desafios, e até mesmo como um ouvinte atento para aconselhá-los sobre quais as melhores decisões podem ser tomadas baseadas em dados e na experiência destes profissionais.

Para as empresas de contabilidade, a melhoria do conhecimento tecnológico, aliada a especialização nos nichos de seus clientes e uma melhor colaboração e educação de toda a equipe contábil, significa a expansão das ofertas de serviços e a possibilidade do aumento considerável de ganhos e do nível de relacionamento mais próximo com seus clientes.

Todos esses fatores apresentados na pesquisa SEBRAE podem ajudar uma empresa de contabilidade a se diferenciar dos concorrentes.

Aumentar a abordagem consultiva proativa para gestão de negócios e integrações tecnológicas é um dos fatores mais importantes na melhoria da reputação de sua empresa contábil e da força de seus relacionamentos com seus atuais e potenciais clientes.

Lembre-se de que o relacionamento com o cliente é vital para uma empresa contábil permanecer forte, reconhecida e financeiramente sustentável.

Fonte: SEBRAE e Grupo DPG

Voltar