Notícias


Como a Selic impacta na aquisição de um imóvel?

Publicado em 25 de Março de 2019 às 09:53 AM

Esse é o menor patamar dos juros desde 1986, o que aumenta a quantidade de crédito disponível no mercado e estimula novos investimentos.

A compra da casa própria ainda é um dos principais sonhos de grande parcela da população brasileira. Contudo, para adquirir um imóvel é necessário um bom planejamento para avaliar os principais fatores que possam impactar no preço final.

É o caso da taxa básica de juros, a Selic – mantida em 6,5% ao ano pelo Banco Central desde fevereiro de 2018. Esse é o menor patamar dos juros desde 1986, o que aumenta a quantidade de crédito disponível no mercado e estimula novos investimentos.

Como a Selic tem influência direta na cobrança de juros pelas instituições financeiras, isso afeta inúmeros setores da economia, como o mercado imobiliário. Se a taxa básica sobe, outros índices tendem a aumentar e vice-versa.

Imagine, por exemplo, que uma pessoa esteja economizando uma quantia mensal para utilizar como entrada em um financiamento imobiliário. Buscando as melhores taxas, ela faz uma pesquisa e verifica qual é a instituição bancária com condições mais vantajosas. Mas se nesse período, o Copom decide aumentar a taxa de juros Selic os juros de financiamento também aumentam e, como consequência, todo o planejamento realizado por essa pessoa se torna obsoleto. Ela terá a necessidade de realizar ajustes para a compra do imóvel.

Assim, pode-se dizer que o setor imobiliário anda "de mãos dadas" com a Selic: quanto maior a taxa, maior será o custo do financiamento e mais complicado o acesso ao crédito para os consumidores. Já quando há queda, como atualmente, as condições para compra de imóveis são mais convidativas.

Está favorável

A redução da taxa de juros Selic é extremamente favorável para o mercado imobiliário. Então, podemos afirmar que esse é um momento excelente para a compra de imóveis. O setor está demonstrando certo aquecimento desde o segundo trimestre de 2017, quando o volume de venda de propriedades novas cresceu 59%.

A redução nos juros é de grande valia para o mercado imobiliário, pois além de impactar as condições de financiamento, também interfere no custo dos materiais que são utilizados nas obras. Do mesmo modo que os compradores, as construtoras também se beneficiam, pelo fato de haver economia no montante necessário para investir em novas unidades.

Isso será repassado aos consumidores de certa forma, já que poderão encontrar imóveis de qualidade e com menores preços. Não podemos deixar de mencionar que a Selic em baixa também é sinônimo de aumento no número de empréstimos realizados pelos bancos, pois será necessário um número maior de clientes para obter a mesma rentabilidade.

FONTE: JORNAL DESTAK, 22.3.2019

Voltar